Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DIZERES MEUS

DIZERES MEUS

22
Fev05

Dizeres do Contra

dizeresmeus
Hoje foi enviado por Correio Expresso um convite à participação de um novo membro para este blogue, assumindo este desta forma um carácter plural, e mais produtivo.
Dizeres do contra, desejo que aceites, desejo que contribuas muito e que no fundo sejas feliz, que é isso que é preciso, já que este blogue corria o risco de se tornar demasiado sério.
Dizeres do Contra, wellcome to the blogoesfera.
22
Fev05

Tradição Inventada XI

dizeresmeus
Reza uma história, lá para o médio-oriente longínquo, que um dia um génio se esqueceu da forma de voltar a entrar para a sua lâmpada mágica. Porém, tal facto nunca o preocupou muito. Passou a admirar o facto de conseguir viver do lado de fora do recipiente, e agora em vez de realizar os desejos dos outros, satisfaz os seus próprios, que em três mil anos eram já muitos.
Conta-se, lá para as zonas quentes onde isto sucedeu que o Génio agora gasta os seus desejos em gelados e granizados.
21
Fev05

Limpinho...

dizeresmeus
Às vezes dou por mim a cogitar o seguinte:
«E se eu fosse assim?, e se eu fosse assado? e se fosse rico? e se fosse inteligente? e se isto? e se aquilo?»
Depois vou buscar um aspirador mental e uma esfregona ideológica e limpo a mente por uns instantes até o pó do pensamento assentar, e voltar tudo à mesma.
De facto, não há nada mais importante para nos sentirmos bem que uma boa Higiene Emocional.
21
Fev05

O Dia de Ontem, a Política de hoje.

dizeresmeus
Finalmente acabaram as eleições, já era tempo. Mas porque é que continuamos com os formalismos do Sec XIX e não se marcam logo as eleições para um Mês, ou 15 dias depois?. Está bem, não vale a pena falar mais disto, o que interessa é que felizmente, estas eleições acabaram e conseguiu-se expulsar o menino-guerreiro do palanque governativo.
O PS ganhou (quanto a mim bem), o PP perdeu mas saiu melhor que o PPD de Santana que como previa se agarrou como uma lapa à presidência do partido, o BE foi a grande reviravolta eleitoral, ao mais que duplicar o numero de assentos, a CDU subiu. Enfim, tudo está pronto para que isto mude. Agora só tenho uma coisa a dizer aos próximos governantes e restante assistência (sim, não vão passar disso) parlamentar:
TRABALHEM, que é para isso que vos demos o voto de confiança. Por uma vez na nossa curta democracia, não defraudem aqueles que acreditaram em vocês.
Façam da política de hoje o oposto destes últimos seis meses.
O dia de ontem foi-se, suou-se e venceu-se.
A Política de Hoje tem ainda de ser, de se suar e de se vencer, por isso façam-nos ter orgulho em vós, TRABALHEM.
19
Fev05

Tradição Inventada X

dizeresmeus
Numa Aldeia nos confins da Serra do Gerês, conta uma lenda que uma noite foi representada uma comédia na casa do povo, na qual um homem mascarado de diabo, participava. Ia o homem vestido com um traje vermelho, dois chifres negros e uma cauda vermelha com a ponta em forma de flecha também ela do mesmo negro dos chifres. Era um traje intimidatório, de tão real que era, e coincidiu com uma actuação também ela intensamente realista.
Uma vez terminados os actos e consequentes despedidas, o homem regressou a sua casa, ainda excitado pelos aplausos e guiado por um desejo ardente de possuir de forma imediata a sua mulher, o que fez, mesmo sem se ter desmaquilhado ou despido o hábito demoníaco. Como consequência do acto a mulher engravidou porém, durante todo o tempo de esperanças, não lhe saía da cabeça a imagem de ter sido possuída por um demónio. Durante o parto, os médicos incrédulos tiraram do seu ventre uma criança, mas uma criança diferente, uma criança parecida com o traje que o seu pai usara na fatídica noite. A mãe terá morrido no parto e o bebé prodígio sobreviveu só cerca de seis dias, vindo a morrer, segundo se diz na aldeia, devido a um banho em água que a avó previamente mandara benzer.
O pai enlouqueceu pelas duas perdas, e desapareceu para nunca mais ser visto. Porém, segundo contam os velhos da aldeia, ele nunca deixou as redondezas, e ainda hoje quando o tempo arrefece, dizem que ouvem os risos demoníacos que profere quando o nevoeiro cobre a aldeia em noites mais frias.
18
Fev05

A Ciência aplicada a mim:

dizeresmeus
Ser-se humano supõe ser-se demasiado: abarcar coisas que agrupam ainda mais coisas, conhecimentos que abarcam mais conhecimentos. Ser humano significa ser um conjunto com um determinado número de elementos, imerso no Universo (Universo que, por outra parte, ninguém conhece nem vê, nem sequer entende). Por outro lado, ser-se humano está directamente relacionado com ser-se vivo, com acção, com movimento e não com inércia (isto, por mais que me doa é mesmo um dogma pessoal). Então, se sr humano correponde à ideia de conjunto, um conjunto que se relaciona com outros conjuntos mediante certas funções. Para que esta humanidade se dê, é necessário que estejam cumpridos certos requisitos, que são:
1. Unicidade – do ser humano como ser único
2. Existência – do ser humano como ser real
Agora, tratando de tentar esta definição, com a definição da minha pessoa, vemos que ambas são divergentes, por isso aqui está a prova de que não cumpro nenhuma das condições exigidas.
Desta forma consegui demonstrar pseudo-cientificamente a mim mesmo a minha Desumanidade.
17
Fev05

Sonho Publicitário

dizeresmeus
Sonho com o dia em que vá andando pela rua e veja um cartaz com a seguinte publicidade:

«Não tem motivos suficientes para chorar?
Será que acha a sua vida demasiado preenchida e feliz?
Acha-se muito bom, o maior?
Não seja mais um maldito contente da vida, prove o novíssimo Serviço Gratuito de Agressão e Insulto ao Cliente®
O nosso lema é:
«O cliente tem sempre razão, quando tem de facto razão, ou quando nós entendermos que tem razão»
Primeiro averiguaremos quem você é, depois recordamos-lhe quem de facto você é, e se isso não for suficiente, temos para oferecer-lhe um aumento de custo de 65% no acto de pagamento: se não sofrer pelo tratamento sofrerá com certeza na hora de pagar.»

Será que foi mesmo um sonho?
Se calhar não, acho que ontem fui mesmo a uma loja do cidadão e pagar o seguro do carro.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2006
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2005
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2004
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D